• Rio de Janeiro/RJ: (21) 3439-8999
  • Londrina/PR: (43) 3323-8744
Compartilhe:

Avaliação do estresse: desequilíbrio do sist. nervoso autônomo simpático e parassimpático

O estresse é uma resposta do organismo frente a uma situação de perigo, ou seja, o organismo faz uma adaptação à determinados estressores.

O sistema nervoso autônomo  (SNA) tem um papel importante na mediação das alterações cardiovasculares provocadas pelo estresse. O estresse se faz presente em todas as reações do organismo desencadeadas por agressões de ordem física, infecciosa  e emocional(1).

O estresse também pode ser visto como algo saudável e necessário, por exemplo, se tem um leão solto à sua frente, sua freqüência cardíaca ira aumentar, pupila dilatar e seu organismo liberará uma enorme quantidade de adrenalina, sendo assim, o mais provável é que você tenha medo do leão e corra para não virar a próxima refeição da fera. Numa situação como esta, podemos ver o sistema nervoso autônomo simpático em ação. A principal função do sistema nervoso autônomo é manter a homeostase no repouso e em situações de estresse. O Sistema Nervoso Autonomo se subdivide em dois: sistema simpático e o sistema parassimpático, que em geral atuam de forma antagônica, mas não independente, colaborando e trabalhando harmonicamente na coordenação da atividade visceral. O sistema simpático mobiliza energia para atividades repentinas, o sistema parassimpático contribui mais para restabelecer as reservas.

O Sistema Nervoso parassimpático estimula atividades relaxantes como  a diminuição da frequência cardíaca, pressão arterial, contração das pupilas, etc. Já o Sistema Nervoso simpático atua instintivamente com funções inconscientes como a produção de saliva, batimentos cardíacos, concentração de glicose no sangue, etc.
 

sistema nervoso autonomico.gif

 

O hipotálamo recebe os estressores sensoriais por meio dos nervos, porém a estimulação excessiva dos nervos, como no caso de medo e ansiedade constantes faz com que o cérebro e o corpo se sobrecarreguem, sendo assim o mais provável é que se tenha o surgimento de doenças e perda da qualidade de vida.

O estresse é dividido em 4 fases: Alerta, Resistência, Quase-Exaustão e Exaustão.
1)    Alerta: é a fase positiva, onde a descarga de adrenalina torna o indivíduo mais produtivo, motivado, atento.
2)    Resistência: o indivíduo parece se sentir bem, porém aumenta a produção de cortisol e a vulnerabilidade à vírus e bactérias, permanece na fase de alerta na tentativa de restabelecer a homeostase.
3)    Quase-exaustão: com muito esforço o indivíduo consegue pensar equilibradamente, apresenta desconforto físico e mental e podem surgir doenças como diabetes, hipertensão, gastrite e herpes simples.
4)    Exaustão: Desequilíbrio interior, depressão, diminuição da produtividade. O indivíduo apresenta apatia, irritabilidade, angustia, perda do senso do humor, diarreias frequentes, dificuldades sexuais, formigamentos nas extremidades, insônia, tique nervoso, ulcera, pesadelos, hipertensão arterial confirmada, crises alérgicas, mudança extrema de apetite e taquicardia.


" A melhor maneira de prevenir doenças relacionadas ao estresse é fazer atividade física adequada, alimentação equilibrada, reserva de tempo para lazer, e o equilíbrio bioquímico e hormonal do corpo e da mente.

O coração é um órgão relativamente autônomo, ele pulsa por si só. Está em condições de bater sem a intervenção do sistema nervoso. No entanto, ao coração chegam nervos que provêm do nervo vago e do sistema simpático. Estes nervos regulam as batidas cardíacas: o simpático o acelera, enquanto o vago o torna vagaroso.

Atualmente, os mais conceituados centros de saúde possuem um equipamento não invasivo, indolor, de alta tecnologia, inteligência artificial, eficaz, capaz de fazer a avaliação quantitativa do SNA simpático e parassimpatico, de forma precisa com base na variabilidade de freqüência cardíaca (VFC) de análise. Esse equipamento chama-se Nerve Express. A partir da VFC no SNA simpático ou parassimpático, pode-se diagnosticar a real fase de estresse e providenciar medidas para se reverter esse quadro, evitar o surgimento de novas doenças, melhorar  a performance de atividade física, diminuição de medicamentos em excesso, além de detectar doenças que afetam o sistema nervoso autônomo, como a Diabetes e o Parkinson, causadas pelo distúrbio autonômico, contribuindo assim para o bem estar e qualidade de vida.

Resumo laudo da avaliação do sistema nervoso autonômico e variabilidade cardíaca com o Nerve express:

laudo nerve express 2.png

 

variabilidade cardiaca para fitness.png

Mais informações sobre equilíbrio do sistema nervoso autônomo na medicina ortomolecular pelos telefones: 21-3439899 no Rio de Janeiro e 43-33238744 em Londrina.

Produzido por:
Educação e Pesquisa Clínica Higashi - Ortomolecular e Nutrologia


Referências:
Lima, JS et al. Análise do Efeito da terapia Watsu no comportamento do sistema nervoso autônomo através da variabilidade da frequência cardíaca. Disponível em: http://www.aquabrasil.info/Watsu/sb_art_efeitos_card.shtml, Acesso em 18/8/2011.
Riftne, A. Columbia University Reports. Disponivel em: http://www.nerveexpress.com/~files/files/Theoretical%20Review.pdf. Acesso em 18/08/2011.